top of page

Letramento racial nas empresas: como implementar


Mulher negra com notebook sobre o colo sentada em uma poltrona dentro de um café.
Letramento racial nas empresas | Artigo exclusivo Great People

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quase 56% da população brasileira é negra. Os dados são referentes ao 2º semestre de 2022 da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua). Mesmo assim, 81% da população concorda total ou parcialmente que o Brasil é um país racista.


No mundo dos negócios, a disparidade também está presente: menos de 5% dos negros no Brasil ocupam cargos de liderança. Uma das formas de lidar com esse cenário e tornar a empresa mais inclusiva e diversa é por meio do letramento racial.


Com o devido investimento em implementar esse conceito, é possível tornar todo o time mais consciente e preparado sobre o tema. Com isso, tanto o negócio quanto as pessoas podem se beneficiar. 

Na sequência, você descobrirá o que é o letramento racial nas empresas e como ele pode ser colocado em prática!


O que é o letramento racial? 


Desenvolvido pela socióloga France Winddance Twine, o letramento racial é um conceito baseado na capacidade de reconhecer, compreender e responder ao racismo da sociedade. Inicialmente, o conceito tinha a ver com famílias birraciais, em que o letramento era necessário para que os responsáveis percebessem que os desafios raciais dos filhos não seriam os mesmos que os seus.


No entanto, o conceito se tornou muito mais amplo e passou a ser usado, inclusive, de modo corporativo. Vale notar que esse conceito está relacionado a um espectro de conhecimento e de desenvolvimento de uma mentalidade antirracista, que pode ser sempre aprimorado.


Quais são os benefícios dessa abordagem?


O letramento racial nas empresas é importante não apenas para os negócios, como também para os colaboradores, parceiros e clientes. Ter essa abordagem, no geral, gera diversos benefícios para o público interno e externo.


Um dos aspectos principais tem a ver com o papel da diversidade no contexto organizacional. De acordo com um estudo de Great Place to Work, as 100 companhias com o menor gap racial em sua estrutura tiveram uma performance financeira melhor.


O resultado foi um crescimento de 11,1%, o que é maior que os 8,6% das 100 companhias com os maiores gaps.


Isso acontece, em especial, porque os times se tornam mais eficientes, coesos e inovadores. Ao contar com um time diverso é possível contar com a contribuição de diferentes pontos de vista para trazer novas ideias ou solucionar problemas, por exemplo.


Também tende a haver um aumento no engajamento, na motivação e na produtividade. Em contrapartida, o turnover dessas companhias tende a ser 22% menor, segundo dados da Deloitte publicados na Forbes. 

De acordo com a Gartner, essa conjunção de fatores torna times diversos capazes de gerar resultados até 30% maiores. Ainda, a diversidade tende a gerar uma visão mais positiva por parte do público interno — tanto de profissionais, melhorando o employer branding, quanto de clientes.


Logo, adotar o letramento racial é uma forma de criar um ambiente de trabalho verdadeiramente inclusivo e diverso. A partir disso, é possível explorar esses aspectos positivos no desempenho, de modo geral.


Como implementar políticas de letramento racial?


Sendo o racismo um tema complexo e estrutural, é fundamental que as medidas adotadas pelas companhias sejam bem planejadas. Por isso, o efetivo letramento racial depende de uma atuação orientada e que foque verdadeiramente em conscientizar e construir uma mentalidade antirracista como parte da cultura. 

Na sequência, veja dicas úteis para implementar com efetividade o letramento racial no negócio!


Comece com um processo de sensibilização


Para tornar mais efetiva a construção do letramento racial, é interessante iniciar com o chamado processo de sensibilização nesse sentido. Essa etapa é necessária para que todos os colaboradores realmente se tornem aderentes e compreendam a importância do tema.


Por isso, vale iniciar abordando o que é raça, como a racialização acontece na sociedade e quais são os principais impactos sentidos. Assim, é possível construir bases sólidas para desenvolver o letramento de modo contínuo.


Realize treinamentos e capacitações


Após o alinhamento inicial, é preciso investir em treinamentos e capacitações voltados para a questão racial. É fundamental ir além das ideias protocolares, aprofundando aspectos como o racismo estrutural, as origens dessa questão e as práticas que devem ser observadas ou mesmo mudadas.


Nesse sentido, é possível contar com parceiros externos, como uma consultoria ou especialistas em diversidade e inclusão. O conhecimento qualificado é fundamental para uma jornada de letramento que realmente gera resultados ao longo do tempo.


Engaje as lideranças


No processo de implementação do letramento racial, também é fundamental que as lideranças estejam verdadeiramente engajadas. Uma postura de cima para baixo (top down) faz a diferença na participação e no envolvimento dos demais colaboradores.


Por isso, é indispensável que as médias e altas lideranças — como os cargos C-level — estejam envolvidos no processo. A participação de líderes nos treinamentos e eventos, por exemplo, conta pontos a favor desse processo.


Incorpore o letramento racial nos processos


Embora o letramento racial envolva o conhecimento e o desenvolvimento contínuo de uma consciência antirracista, ele também precisa se manifestar em ações e mudanças. Por isso, é necessário realizar os ajustes que forem necessários para que essa visão se concretize.


Um exemplo é adaptar os processos seletivos para torná-los mais inclusivos, como ao fazê-los às cegas. Ter vagas afirmativas para aumentar a diversidade na empresa também é uma forma de ajudar a promover mais igualdade racial, consolidando os aprendizados.


Ainda, é fundamental ter um ambiente transparente e com comunicação. Os colaboradores precisam se sentir seguros para relatar experiências relacionadas à raça — tanto para mudanças e melhorias quanto para a responsabilização dos envolvidos, se for o caso.


Você pode gostar de ler também 👇


Como avaliar o impacto das iniciativas?


Além de implementar o letramento racial, é indispensável saber como medir seus impactos. Somente assim é possível entender se a estratégia tem funcionado ou se é preciso buscar outros modos de implementar o conceito no dia a dia do negócio.


Algumas empresas utilizam estratégias como gincanas ou outros elementos de gamificação para acompanhar o desenvolvimento das pessoas sobre o assunto. Isso pode ser efetivo logo após realizar um treinamento ou com base nas ações de educação contínua.




Outra possibilidade é fazer pesquisas diretas com os colaboradores — tanto aqueles que sofrem com questões raciais como aqueles que são o foco do letramento.


Porém, também é possível fazer medições indiretas. Acompanhar o volume de reclamações internas sobre casos de racismo, por exemplo, ajuda a perceber se as pessoas se sentem mais à vontade para denunciar.


Paralelamente, é possível acompanhar se as ocorrências se tornam menos frequentes com o tempo.. 

Ainda, existe a chance de fazer pesquisas de clima organizacional, medir o nível de diversidade na empresa e até questões como turnover, produtividade e lucratividade.


Conforme você acompanhou, o letramento racial nas empresas é crucial para criar negócios com mais igualdade e diversidade. Ao implementar essa abordagem, é possível ter times com uma mentalidade antirracista, ajudando a combater essa questão na sociedade.


Para construir políticas de diversidade e inclusão na sua empresa, conte com a ajuda da nossa consultoria especialista no tema. Entre em contato e saiba como!

92 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page