top of page

Como fazer o planejamento estratégico de RH?

Atualizado: 1 de dez. de 2023


Mulher olhando apara um painel de post-it pensando no planejamento estratégico de RH
Como fazer o planejamento estratégico de RH? | Artigo exclusivo Great People

Todas as áreas precisam de um planejamento estratégico adequado para maximizar os resultados. No caso do RH isso não é diferente, já que o plano ajuda a área a superar desafios e encontrar novos caminhos.


Porém, o planejamento estratégico em RH não é relevante apenas para essa área da empresa. Essa ferramenta também se relaciona aos objetivos globais da companhia, sendo essencial para ajudar o negócio a alcançar um desempenho mais satisfatório.


Neste artigo, você entenderá o papel do planejamento estratégico em RH para a performance organizacional e como montar um plano adequado!


Qual a importância do planejamento estratégico de RH?


Como o planejamento estratégico de RH está ligado ao capital humano da companhia, ele tem um papel determinante nos processos e no alcance de resultados. Na prática, essa ferramenta pode servir de apoio para a conquista de objetivos gerais da companhia, gerando impactos positivos em outros setores.


A seguir, entenda melhor a importância do planejamento estratégico do RH no contexto da performance geral da companhia!


Aumenta a coesão e sinergia


Um dos pontos-chave desse plano é que ele serve para aumentar a coesão na atuação do negócio. Em vez de o RH atuar de modo independente, ele passa a agir com sinergia com toda a empresa. Isso é fundamental para melhorar o aproveitamento dos recursos e facilitar o atingimento das metas definidas.

Ajuda na identificação de competências e talentos


Outro benefício do planejamento estratégico de RH é que ele ajuda a identificar quais são as principais competências para a organização alcançar seus objetivos. Essa questão permite realizar processos de recrutamento, seleção e desenvolvimento mais direcionados, atendendo às demandas específicas dos cargos.


Otimiza o clima organizacional


Um RH estratégico e bem preparado também é fundamental para cuidar e otimizar o clima organizacional de forma contínua. Isso ajuda a motivar os colaboradores, além de contribuir com a permanência das pessoas.


Favorece a eficiência e produtividade


A elaboração de um bom planejamento estratégico de RH também é fundamental para elevar a eficiência e a produtividade do negócio. O time mais engajado e comprometido consegue entregar mais resultados, o que se reflete na capacidade do negócio de realizar tarefas e agregar valor em seus processos.


Amplia a lucratividade


Ainda, convém notar que um plano bem estruturado do RH pode tornar a empresa mais lucrativa. Uma permanência maior de talentos, por exemplo, contribui para a redução do turnover e dos gastos associados a novas contratações, treinamentos e perda de capital humano.


O aumento da eficiência e da produtividade ajuda a elevar o volume e a qualidade das entregas, evitando retrabalhos e aproveitando melhor os recursos. No geral, isso garante que a empresa desperdice menos e, com isso, obtenha um melhor desempenho financeiro.


Impulsiona o crescimento


Todos esses benefícios e impactos são cruciais para impulsionar o crescimento da companhia. Com resultados melhores, fica mais fácil se diferenciar dos concorrentes e se consolidar no mercado, o que ajuda a consolidar também o desenvolvimento do negócio.


Como começar a planejar estrategicamente essa área?


Sabendo que o planejamento estratégico do RH contribui com os objetivos globais da empresa, é fundamental saber como elaborá-lo. Nesse sentido, a construção pode ser feita em etapas, contemplando os aspectos mais importantes para o plano ser efetivo.


A seguir, descubra como começar esse planejamento de modo eficiente!


Análise dos ambientes interno e externo


O primeiro passo é fazer um diagnóstico de todos os elementos que influenciam o RH e que podem interferir em seus resultados. Nesse contexto, é preciso pensar tanto nos elementos internos quanto externos.


No cenário interno, elementos como cultura organizacional, competências da equipe e os próprios objetivos da empresa são pontos que exigem atenção. Já externamente é preciso ter atenção a questões que envolvem tendências de mercado, desafios para a companhia e a concorrência.


Uma forma de realizar essa análise de modo sistemático é pelo uso da matriz SWOT ou FOFA. Ela é composta pelos seguintes elementos:

  • strenghts (S) ou forças (F): são os pontos fortes que o negócio apresenta de modo interno, como sua cultura organizacional ou o bom clima organizacional;

  • weaknesses (W) ou fraquezas (F): são os aspectos negativos ou que a empresa ainda precisa melhorar internamente. Se a companhia tem um alto turnover, por exemplo, essa é uma fraqueza a observar;

  • opportunities (O) ou oportunidades (O): são as possibilidades que surgem de fora para dentro. Tendências de RH podem ser absorvidas pela empresa para gerar os resultados desejados;

  • threats (T) ou ameaças (A): são os elementos externos que podem afetar o RH e toda a companhia. A concorrência é um dos exemplos entre as ameaças.

Ao identificar esses elementos, é possível direcionar o planejamento do RH com mais efetividade. A ideia costuma ser maximizar as forças e aproveitar as oportunidades, ao mesmo tempo em que é preciso contornar as fraquezas e mitigar os riscos das ameaças.


Definição de objetivos e metas de RH


Todo bom planejamento precisa ser orientado por resultados de interesse. Por isso, é fundamental haver uma definição de objetivos e metas do RH no momento de elaboração do plano.


Por um lado, é necessário que os parâmetros ajudem o setor a executar melhor as atividades, maximizando a entrega de valor. Porém, também é preciso considerar o cenário macro do negócio, o que significa que as metas devem estar alinhadas com a missão e a visão da empresa. Ainda, é fundamental que os objetivos do RH contribuam para o alcance do desempenho esperado para a empresa, de modo global.


Além de definir quais são os resultados a obter, é interessante ter métricas mensuráveis para avaliar o sucesso das metas estabelecidas. Com critérios e indicadores claramente definidos, fica mais fácil acompanhar a evolução da performance com o tempo e até conferir como o RH tem contribuído com os resultados de modo geral.


Você pode gostar de ler também 👇


Consideração sobre áreas e tendências


Conforme você acompanhou, as tendências que impactam o RH podem ser oportunidades — desde que sejam bem aproveitadas. Por conta disso, é fundamental que o planejamento estratégico do setor considere os movimentos e os temas em alta.


Dessa maneira, é possível explorar as possibilidades para garantir um planejamento ainda mais relevante e eficiente. A seguir, confira quais são tendências de RH que vêm se destacando!


Employee experience

A employee experience está relacionada à jornada de um profissional ao longo de seu tempo na empresa. A experiência, portanto, contempla desde as etapas de recrutamento e seleção até questões relacionadas à cultura e ao desligamento.


Vale notar que a employee experience é diretamente afetada pela atuação do RH, já que ela também envolve o onboarding, o clima organizacional, as ações de desenvolvimento e outras questões. Porém, ela também é impactada por outras áreas do negócio, em especial ao considerar lideranças diretas e os relacionamentos interpessoais.


No planejamento de RH, é importante entender que essa tendência pode afetar todo o desempenho organizacional e interferir nos objetivos globais da companhia. Sendo assim, o ideal é prever desde o começo a experiência que se deseja criar para os colaboradores, definindo medidas que devem ser adotadas para concretizá-la.


Inovação e Tecnologia em RH


Embora o RH foque nas pessoas e nas suas relações, o setor também tem sido cada vez mais impactado pela tecnologia e suas novas soluções. Isso abre o caminho para a inovação do RH, trazendo a possibilidade de conquistar mais eficiência, diferenciação e resultados mais satisfatórios.


Entre as soluções, por exemplo, está o People Analytics. A partir do uso estratégico de dados, o RH consegue ter mais visibilidade e ajudar outras áreas na tomada de decisão. Logo, tende a ser mais fácil alcançar os objetivos globais da companhia.


Também vale considerar as tendências de treinamento e desenvolvimento, como o microlearning e a adoção da tecnologia nos programas de capacitação. Ainda, o RH pode passar por automações de processo ou mesmo ser um dos pilares para a apoiar a gestão de mudanças na empresa.


Logo, para uma empresa ser inovadora por completo, é preciso que o planejamento de RH já contemple essa questão. Desse modo, é possível fazer a companhia evoluir com mais eficiência e menos fricção.


ESG

O ESG — sigla em inglês para meio ambiente, social e governança — se relaciona à sustentabilidade como parte das empresas. No contexto ambiental, por exemplo, o foco é diminuir os impactos das atividades sobre os recursos naturais, por exemplo.


No aspecto social, é preciso buscar formas de impactar positivamente a comunidade, além de considerar boas práticas para a gestão do capital humano. A equidade de gênero é um exemplo de medida relacionada ao aspecto social da sustentabilidade em empresas.


Já a governança se relaciona à transparência e comunicação, permitindo um fluxo mais adequado de informações. Todos esses três pilares podem ser devidamente abordados no planejamento estratégico de RH, garantindo a propagação das ideias em toda a companhia.


Inclusive, a união entre o plano do RH e esses critérios é indispensável para que as ações sustentáveis sejam verdadeiramente implementadas. Do contrário, pode ocorrer a prática conhecida como greenwashing — que se dá quando a empresa não se compromete verdadeiramente com a sustentabilidade.


D&I

Outra tendência para considerar se relaciona ao termo D&I, referente à Diversidade e Inclusão. O tema tem a ver com questões como a diversidade de raça, gênero, orientação sexual, idade, entre outros aspectos.

Essa tendência, portanto, está relacionada à capacidade de incluir diversos perfis profissionais, em um ambiente justo e que oferece equidade de oportunidades.


Considerando esses pontos em seu planejamento, o RH ajuda a empresa a diminuir desigualdades e a contribuir com um mercado de trabalho mais diverso.


A implementação adequada de políticas de D&I também contribui para formar times com uma ampla gama de percepções, vivências e opiniões. Isso traz mais perspectiva para diferentes áreas do negócio e potencialmente favorece a tomada de decisão e o alcance de objetivos.


Saúde mental

Um dos temas que se tornou central no planejamento estratégico do RH de empresas de diversos portes e segmentos é a saúde mental dos colaboradores. Essa tendência permanece relevante, especialmente ao considerar os dados sobre o assunto.


É o que mostra o relatório Tendências de Gestão de Pessoas em 2023, elaborado pelo Ecossistema Great People & GPTW. Segundo o estudo, mais de 96% dos respondentes afirmaram que esse é um tema relevante abordado na empresa.


Sendo assim, um bom planejamento de RH deve considerar as questões que afetam a saúde mental do time, desde a cultura e o clima organizacional até medidas de motivação e suporte. Isso tende a aumentar a retenção de talentos e a melhorar o employer branding, potencialmente refletindo nos objetivos globais.


Cultura flexível

Especialmente após a pandemia, com a consolidação de novos regimes de trabalho (como o remoto e o híbrido), a flexibilidade se tornou uma forte tendência na gestão de pessoas. Além disso, a questão ajuda a atrair e atender às demandas das novas gerações, que priorizam mais a flexibilidade.


Por parte do RH, é possível planejar medidas específicas nesse sentido, como jornadas flexíveis, opção quanto ao regime de trabalho e mesmo uma comunicação mais horizontal.


Como ter sucesso no planejamento?


Além de saber como elaborar o planejamento estratégico, o RH precisa entender como ter sucesso ao adotá-lo e mantê-lo no dia a dia da empresa. Para isso, é fundamental colocar as pessoas no centro, desde o começo da elaboração do plano.


Somente dessa forma é possível ter resultados realmente consistentes, eficientes e alinhados aos objetivos organizacionais. Para tanto, vale a pena contar com o apoio de parceiros estratégicos — tanto para definir quanto para cumprir os objetivos definidos.


Nesse sentido, as soluções da Great People podem ajudar. Com um time multidisciplinar e soluções diversificadas, o negócio poderá contar com um planejamento mais integrado e que pode oferecer mais resultados quando colocado em prática.


Com essas informações, você descobriu por que o planejamento estratégico de RH é tão importante para a empresa. Na prática, ele pode ajudar a companhia a alcançar seus objetivos globais e, por isso, é essencial elaborá-lo de modo eficiente.


Quer ter ajuda qualificada nesse processo? Conheça as soluções da Great People e entre em contato conosco!



Relatório do Trabalho Ideal - Clique para baixar

16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page